domingo, 1 de fevereiro de 2009

Livro da Semana - A Vida Secreta das Abelhas

Mais do que uma obra literária, uma ficção, um romance, um drama, A Vida Secreta das Abelhas, da escritora norte-americana é um retrato de uma época, de valores, de afeições, é um retrato da vida.
A história passa-se numa pequena cidade dos Estados Unidos e narra a história de uma jovem chamada Lilly, cuja única lembrança que tem da mãe foi a do dia em que ela desapareceu, quando a menina contava então com 4 anos. Essas são lembranças confusas, mas que ficaram gravadas como ferro em brasa na pele, na cabeça e no coração da criança. Lembra-se da expressão assustada na face da mulher, retirando todas as roupas e jogando-as dentro de uma mala enquanto, antes que seu marido voltasse para casa. Mas por mais pressa que tivesse, o homem a surpreendeu, e houve uma discussão. No auge da discussão, em que a menina assistia a tudo num canto do quarto, uma arma cai no chão, e quanto ela se abaixa para pega-la, o pai, furioso, a toma de suas mãos e ouve-se um estrondo...
Com essas únicas lembranças da mãe, Lilly conviveu durante anos. Em sua casa não tem qualquer tipo de afeição vinda do pai (que ela não chama de pai, pois isso ele nunca o foi. Ela o chama apenas de “T-Ray), ficando, assim, enclausurada dentro e si mesma e o única afeição que lhe é destinada vem de uma empregada velha e negra que eles tem em casa.
A menina fica a remexer suas memórias, a lembrar de sua mãe através de uns poucos pertences que ela deixou e entre esses existe uma imagem de Maria, mãe de Jesus, preta, o que a deixa intrigada, pois nunca tinha visto ou ouvido falar de qualquer menção a esse ponto, e uma inscrição na parte de trás dessa imagem, com a letra de sua mãe: Tiburon, nome de uma cidade, que a menina imagina ser um lugar onde sua mãe viveu. Com essa idéia, ela traça planos de ir até tal localidade a fim de obter informações sobre sua mãe, só não sabe quando e como fará isso, até que um fato, que retrata todo o ódio e preconceito racial nos Estados Unidos adianta seus planos, e a menina tem que deixar pra trás sua casa, onde não tinha qualquer afeição vinda de seu próprio pai, para salvar a vida daquela empregada negra, vítima de preconceito. E para salvar a vida dessa mulher, a menina vai ao único lugar que acredita, ainda, existir algo de sua mãe. Nesse livro, Sue Monk Kidd nos transporta aos Estados unidos da década de 60, palco de conflitos, lutas e preconceitos raciais. Recheado de personagens fortes e marcantes, somos convidados a embarcar na empreitada de Lilly, a órfã de afeição, e conhecer que existe algo além de ódio e mentiras no mundo, a encontrar um sentido, uma beleza na vida, muito mais do que ela imaginava existir.
obra genial, contada com uma delicadeza impressionante, A Vida Secreta das Abelhas nos prende e nos envolve tanto quanto leitores quanto como seres humanos, da primeira a última palavra.

Um comentário:

  1. Impressionante. Muito bem feito. Muito bem feito mesmo.

    ResponderExcluir